Bebedouro
Bebedouro

Bebedouro

Zé Renato

Zé Renato

Preço sob consulta

Pontos Fidelidade
ou retire na loja
  • Descrição/Sinopse
  • Comente
  • Ler comentários
  • Ficha Técnica
  • Faixas

Descrição/Sinopse

"É sintomático que sons de vozes em harmonia sejam ouvidos logo no começo de Bebedouro, álbum lançado por Zé Renato. Afinal, as nove composições autorais de Bebedouro irrigam as fontes límpidas que desaguaram na obra desse cantor, compositor e músico de origem capixaba e vivência carioca.
Nascido em 1956, José Renato Botelho Moschkovich surgiu nos anos 1970 como integrante dos grupos vocais Cantares e Boca Livre. Com o Boca Livre, Zé se projetou pioneiramente em 1979 no mercado independente no qual Bebedouro emerge quatro décadas depois. 'Bebedouro é uma ação entre família e amigos', sentencia, grato, o artista em breve texto reproduzido numa das contracapas internas da edição em CD do álbum gravado em outubro de 2017 com produção musical do saxofonista Zé Nogueira.
As vozes do início do disco são as do grupo vocal carioca Subversos, convidado de Fonte de rei, composição de Zé Renato com Paulo César Pinheiro que parece evocar um Brasil musical mineiro, um país de matas e águas, mais interiorano, rural e imemorial. Alocada na abertura de Bebedouro, as águas de Fonte de rei correm para Pedra do mar, outra parceria de Zé com o compositor poeta Paulo César Pinheiro ambientada no mesmo universo musical, não por acaso também gravada com as vozes do Subverso e disposta no fim do disco, como que fechando o recorte do álbum Bebedouro.
Entre Fonte de rei (música gravada com o toque jazzy do piano de Cristovão Bastos) e Pedra de mar (música gravada com o toque áfrico da marimba de Arthur Dutra e com timbre andrógino da voz do cantor Marcelo de Lamare), o álbum corre fluente pelas águas da Guanabara. É quando Zé Renato dobra a carioca, caindo no suingue do black Rio de Janeiro em Agogô (Zé Renato e Moacyr Luz), samba que cita de Silas de Oliveira (1916 - 1972) à banda Black Rio, passando pelo também seminal Jorge Ben Jor em gravação que orquestra sopros (arranjados por Cristovão Barros) e a guitarra de Celso Fonseca.
Entre os contornos sinuosos de Sacopenapan (tema de Zé com Joyce Moreno que saúda a geografia da cidade que abriga os dois parceiros compositores) e a bossa nova baiana de Vamos curtir o amor (samba que conceitua o amor na letra recitada com manemolência por Moraes Moreira, parceiro de Zé na composição), o álbum Bebedouro conjuga poesia e lirismo nos versos de Agora e sempre - encantador samba de tom mais intimista, composto por Zé com outro baiano, o poeta José Carlos Capinam - e de Samba e nada mais. Nesta parceria de Zé com o carioca João Cavalcanti, ouve-se a voz de Dori Caymmi, cujo canto denso parece brotar da terra que espalha canções ventaneiras pelo ar.
Ritmo recorrente na fonte de Bebedouro, o samba também cai sobre a cadência de Noite, outra parceria de Zé Renato com Joyce Moreno ambientada na geografia carioca com direito à menção da mesma Lagoa citada em Sacopenapan. Além das fronteiras cariocas, Náufrago (Zé Renato e Nei Lopes) atravessa oceano para destilar mágoas atlânticas na levada da morna de Cabo Verde. Faixa já previamente lançada como single em dezembro, Náufrago é o mergulho mais profundo de álbum que flagra Zé Renato são e salvo em mar de melodias e versos que jorram de algumas das fontes mais ricas da música brasileira."

Mauro Ferreira, do site G1

Ficha Técnica

  • Zé Renato
  • Código de Barras: 7898619142777
  • Código: 1711503
  • Lançamento: 05/02/2018
  • Origem: Nacional
  • Quantidade: 1 volume

Faixas

Não disponível

NÃO ENCONTROU O QUE PROCURAVA? TEM DÚVIDAS SOBRE ESTE PRODUTO?

FALE CONOSCO.